Soncent

Soncent

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

H.

Ontem bati o recorde de arrepios enquanto via a cerimónia de tomada de posse de Barack H. Obama na televisão. Toda a populaça entusiástica debaixo daquele frio, a emoção que se sentia, mesmo através do ecrã, nos dois milhões de pessoas presentes e na emoção que a estática me trazia, de outros quantos milhões colados aos seus ecrãs... quis estar contigo, Nádia, no teu sofá vermelho, a ver acontecer a história desse teu país... hehehe


Essa do H... sei não, einh? Que é que vocês acham, faz parte do protocolo, ou tiveram mesmo medo de pronunciar o Hussein??

7 comentários:

Hermano lopes da Silva disse...

E não há motivo para tanto suspense, se não vejamos:

-Barack, nome semítico, vem de Barak, nome judaico da Bíblia que quer dizer "o abençoado".

Hussein, nome semítico, vem de Hasan, que quer dizer "bom" ou "bem parecido", de que Husayn é o diminutivo, ou seja "bonzinho" ou "bem parecidinho", transmitindo afecção.

Portanto,

Barack Hussein, quer dizer, nas línguas semíticas, "blessing the good", traduzindo, "abençoado o bom" ou "abençoado o bonzinho", usando o diminutivo.

Obama, em persa, quer dizer "ele connosco", segundo disseram os iranianos.

Finalmente, juntando tudo,

Barack Hussein Obama, quererá dizer "abençoado o bonzinho porque ele está connosco"

Que Deus ajude este Senhor (mestiço/crioulo) que nunca foi negro (como dizem todos) e que nunca será branco (como ninguem ainda disse, não sei, também, porquê)

Um abraço
Hermano Lopes da Silva

Eileen disse...

Obrigada, Hermano, por esta explicação, que aliás os comentadores da Sic também nos passaram ontem. Lembrei-me de um pormenor, quando dizes que ele nunca foi branco: Porque é que o chamam de African-american, se ele é filho de um queniano e uma americana? Pensei que os african-american eram negros americanos descendentes dos que foram para lá levados.. e não um simples filho de um emigrante... mas que sei eu?

João Branco disse...

Faz mesmo parte do protocolo, Eileen. Como George W. Bush, por exemplo.

Aliás, no juramento solene, ele teve que dizer o seu nome completo. E o "maldito" Hussein foi dito com todas as letras.

Abraço grande!

Nadia disse...

O H faz parte do protocolo. Alias, se fores notar, o Presidente Bush so foi chamado George W Bush para nao se confundir com o pai. A America em geral nao usa nomes ou apelidos do meio e se usam, so usam a inicial. Mas acredita que se o Obama quizesse mesmo usar o Hussein, ele o usaria com certeza.

Pena que nao estavas no meu sofa vermelho, mas estarias la com a mama porque eu trabalhava. Ca na America, nao nos dao o dia fora ou tolerancia de ponto para ver a tomada de posse. Eu vi na internet na minha hora de almoco.

Hermano Lopes da Silva disse...

Este é assunto para longas conversas, Eileen, mas uma coisa te digo com alguma propriedade, julgo:
Aprendi que se juntares numa lata vazia um litro de tinta preta + um litro de tinta branca jamais recuperarás nem a branca nem a preta, mesmo diferenciando as proporções (neste caso terá uma tonalidade infinitamente aproximada da branca ou da preta, e jamais as iniciais). Terás infinitas tonalidades do cinza (isto é um facto científico). Pois, a comunicação social e as elites todas deste planeta, inexplicavelmente chamam o Obama de «o primeiro negro a…» Já reparaste que até agora ninguém ousou chama-lo de Branco (o erro estaria equidistante). Quem entende este mundo. Acho que esta a acontecer uma espécie de complexos recalcados generalizado.

Espero não ter cometido nenhuma heresia.

um grande abraço
Fuiiii...
Hermano Lopes da Silva

Arsénio disse...

Assisti do início ao fim, porque o momento era histórico e o que vier depois, não será igual.

Quanto ao "H", acho que não foi protocolo. Deve ter sido por opção.
Porque na hora do juramento, disseram o nome completo.

O homem não vai fugir do nome "Hussein", então o melhor é começar a usá-lo desde agora.

Eileen disse...

Está esclarecido, então. Obrigada, gente!