Soncent

Soncent

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Qualquer coisa em criolo

Há tempos, apareceu uma entrevista minha no A Semana Online. Houve muitos comentários, muitos positivos, outros negativos, claro. Uma das pessoas acusou-me de qualquer coisa como negar as minhas origens, por escrever em Português(!) Mas eu até tenho muita coisa escrita em crioulo. Poemas, principalmente. Mas o que encontrei hoje num dos meus arquivos "frases", foi isto, que escrevi em Portugal:


- Un tinha sodadi de un grogue sima essi li.

- Kol’ê, bô na Somada bô ca conchê grog dess.

- Pô, sô ali qui un ben da’l valor!

- Ya, na Cabo verde, grog ta corrê na levada, dzê lá! Bo tava jgá lá que un canequinha de esmalte e bô tava intchil tê borda… hahaha!

- Adá… Oh Jota, bô ta li ta gozá, mas se bô bá pa Sintanton, ê assim que bo ta sinti, man. Bo ta bá ta andá na quês rbera e tud gent ta estód lá na lambique ta 'pará quel grogue na lata d’azeite, ta experimentá e ta oferecê… e dpôs, esh ta tmal pa calor, pa frio, pa fome, pa dor de garganta… el ê ramed pa tud cosa! Por iss que cond un ta bai, un ta fcá c’med d’andá na ques ladera... quê un ta estód tud fusk!
- Ênh! Anhôs sampadju, anhôs tem uns cusas! Nhôs ca sabi ma na Santiago também ten grogui?
- Sim, moss. Gent ta djgá na um bar, gent ta pdi um grog, quel senhora ta dzê gent: "TA NA LUMI. TA BEN DJÁ!"

14 comentários:

Tiago Leão disse...

Oi Eileen

Esse texto está excelente! Parece uma fotografia de Santo Antão. Lembra-me aquelas voltas do grogue pela Ribeira de Paul, Cruzinha, Ponta de Sol, Ribeira Grande... É um gozo ler-te também em crioulo. Kel grogue na lata d’azeite nunca N experimentá ma num folha de bananeira (?) é sabe pá fronta. Daquele bom! Bjs.

Paulo disse...

Favor, diga a pessoa que disse que escrever em português é negar nossa origem que eu disse que ele é um idiota. que confunde a forma com a essência. E esquece que o Português é a nossa 1ª lingua a mãe das outras. Esse inquietante "complexo" de "lingua di terra" que virou moda já cansa!

Eileen disse...

Grog na folha de bananeira? Isso, eu nunca vi... Mas já bebi água de nascente em folha de inhame, e é uma delícia. A folha parece que não se molha!

Eileen disse...

Olá Paulo: Irei à procura de quem o disse e tentarei passar o recado, ok? E benvindo a Soncent!

Tiago disse...

Parvoíce minha. A língua a trair-me e eu a trair a realidade... No momento em que escrevi vi logo que tinha saído asneira. Era uma folha muito mais pequena. Se calhar de inhame... não sei! Agora outras matérias: Paulo, percebi as tuas (suas) palavras mas, e sem qualquer tipo de complexo, também te deixaste trair pela língua... o português não é a 1ª língua de Cabo Verde. Em tempos idos já foi. Não me parece que possa voltar a ser. O que dizes é quase ofensivo para o crioulo. Que o crioulo nasce do português como deixas entender nas tuas palavras tudo bem... mas também nasce das muitas línguas africanas faladas pelos escravos de 1500. E daí a dizermos «sem aspas» que o português é a 1ª língua de Cabo Verde deve ser a mesma distância que vai entre Portugal e Cabo Verde. Ou seja, muita! (plu menos pa kês qu’tá gostá de nôs terra). Abraços e beijos

Eileen disse...

Sabes Tigao, há tempos, em conversa com defensores do crioulo e com um linguísta, houve uma frase que me prendeu, pela sua pertinência - que tanto o crioulo como o Portguês de hoje derivam do português arcaico. Assim, o crioulo não derivaria do Português, mas sim teriam origens comuns, o que põe o crioulo numa posição muito mais confortável, creio, a ser verdade - e faz sentido, a meu ver. Beijinhos

Tiago disse...

Eileen, do que me lembro das «palestras» da professora Dulce Pereira, especialista Nº1 em crioulos de base portuguesa, numa cadeira de igual nome, na Faculdade de Letras, qualquer crioulo nasce de uma situação social e linguística de emergência. Diz-se que o crioulo de Cabo Verde data de 1500. O que parece certo é que resulta da miscigenação, por assim dizer, do português dos senhores colonialistas com muitíssimos elementos de umas quantas línguas africanas faladas pelos escravos. Assim, dizer que o português e o crioulo têm uma origem comum não é exactamente correcto. Embora não seja mentira que o português moderno derive do português arcaico, e que o crioulo derive também, por derivar do português, desse mesmo português arcaico. O Pai Latim teve 5 filhos, entre os quais o Português, e este por sua vez deu à luz muitos crioulos, um dos quais o de Cabo Verde (um entre outros espalhados por todo o mundo). Afinal de contas o português é a língua-mãe do crioulo? Sim, sem dúvida. Daí dizer-se que o crioulo de Cabo Verde é um crioulo de base (lexical) portuguesa. Apenas me «insurgi» contra as palavras do Paulo porque dizer que o português é a 1ª língua dos cabo-verdianos faz tanto sentido como imaginarmo-nos no século XVII ou XVIII e dizer que a primeira língua dos portugueses era o latim (ou o romance galaico-português). O tempo, segundo Yourcenar, esse grande escultor, há-de mostrar-nos que o crioulo vive só por si. E muito bem! Beijinhos.

Eileen disse...

Tiago, no crioulo que eu e os meus conhecidos falam, quase não há palavra que não venha do português. Eu ainda estou convencida de que esta variante vai buscar palavras ao português, simplifica-as e usa-as a seu bel prazer. Com construções crioulas, claro.

Tiago disse...

Não duvido Eileen. É o que os linguistas chamam de processo de descrioulização. O crioulo de SonCent há anos (ou dias-há ou, ainda, diazá) que sofre essa quase que metamorfose. Daí a importância da fixação do crioulo de Santiago. Não por ser da Praia, onde está o dinheiro e o poder mas, por ser o mais antigo e mais original. Para mim, há diferenças substanciais entre o crioulo de SonCent e o badiu. Há uma influência africana mais forte e evidente no badiu, isso é inegável. Mesmo assim, no crioulo de SonCent são mais do que se julga as palavras de origem africana. Urim (uril), djonga, kunki, psu, kutxi, N, ka (ca), etc. E há ainda, como referes, as estruturas sintácticas crioulas de raiz africana. Nôs crioulo é sabe pa fronta!

lkarthei disse...

Poemas de Sergio Frusoni em crioulo de Soncent
http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9rgio_Frusoni

Web-Link sobre crioulo:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Crioulo_cabo-verdiano

lkarthei disse...

WEBLINKS:

Poemas de Sergio Frusoni em crioulo de Soncent:
http://www.mindelo.info/dico_exemples.php

A POÉTICA CRIOULA DE SÉRGIO FRUSONI:
http://www.home.no/tabanka/literatureart.htm#_Toc125898299

Crioulo caboverdiana:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Crioulo_cabo-verdiano

lkarthei disse...

WEBLINKS:

Poemas de Sergio Frusoni em crioulo de Soncent:
http://www.mindelo.info/dico_exemples.php

A POÉTICA CRIOULA DE SÉRGIO FRUSONI:
http://www.home.no/tabanka/literatureart.htm#_Toc125898299

Crioulo caboverdiana:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Crioulo_cabo-verdiano

lkarthei disse...

STORIAS MINDLENSES na site:
http://www.islasdecaboverde.com.ar/san_vicente/historias_mindelenses.htm

Eileen disse...

Muito obrigada, Ikarthei. Participa mais vezes!