Soncent

Soncent

segunda-feira, 30 de janeiro de 2006

A insustentável beleza do ser



Descobri, há vários anos, o livro "A insustentável leveza do ser" lá em casa. A mamã viu-me com ele e disse que era muito "pesado" para mim. Guess what? Li-o, adorei, re-li-o uma série de vezes ainda. E recomendei-o a muita gente, que não o terminou sequer... Mas para mim, o livro é lindo, lindo. Do Milan Kundera, que também tem outros deveras interessantes.

3 comentários:

Tey Alexandre Silveira Fonseca Soares disse...

Por acaso nao tive não a chance de ler o livro... mas mto cedo encontrei o filme lá no meio das mtas k7 de video q a minha mãe tinha... e voilá fez a delicia dum jovem de uns 12 anos... ke o viu mtas vezes.. principalmente certas cenas....E ainda estou com vontade de lêr o livro.

Anónimo disse...

**daki lidia c mtos bjs**
meu deus!!! mau gosto não s discute, lamenta-se!!! eu já tive a oportunidade de ler o livro (k está lá em casa) e de ver o filme (k tb está lá em casa) e digo q nem 1 nem o outro valem o material em q foram produzidos. meus amigos, arranjem algo melhor c q se entreterem...

Gafanhotu disse...

oi, nice, mi tb djan lel monti bes. normal ki ten uns alguen ki lel ka intendi i otu ki ka ta konsigui le kel tipu di livru la. ma min podi flou ma alma levi e alegre, peso e pa resolvi pamo ninguem ka mereci. tudu dia nta xinti ma kaminhu e sta levi. dipos kin konxeu ntou npodi usa otu metafora, sta lebi e moda odja bus odju ta boia na imensidao di bu olhar. insustentavel leveza do ser. será? nta atxa ma sin, bu ten ki sta sempri ta sustenta bu ser pe ka insustenta. ;-)