Soncent

Soncent

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Brisa na montanha

Uma flor sem pétalas ainda é flor?

3 comentários:

TΣΨ Δ|Σx disse...

Claro... senão a esclarecidíssima e iluminada Dra. Eileen Barbosa não teria escrito uma flôr sem pétalas, mas sim o que quer que seria a tal flôr "unpétable" se chegasse a ser algo diferente e não somente uma flôr sem pétalas. Chega-se então à conclusão que, uma flôr sem pétulas é apenas uma flôr que não têm pétulas, pois a ausência de pétulas não obriga a que mudemos a nomenclatura da mesma. Continuamos satisfatóriamente a rotulála de flôr mas com o frio attachement "sem pétalas". Este argumento, obviamente é válido, única e exclusivamente para o sentido botânico da frase, qualquer analogia com a mesma pode ou não fazer perder o sentido da minha explanação...

Eileen disse...

Eis que o profícuo Sr. Alexandre vem derramar sobre este humilde blog, palavras de imensa sabedoria e pertinência... O que me fez lembrar de outras questões igualmente filosóficas, que darão azo a outros posts... Tu, continua com a tua verborreia. Beijão!

Tey Alexandre disse...

Cara Barbosa, não obstante ter achado que os termos "sabedoria e pertinencia" direccionados às minhas palavras no meu comment anterior serem recheados de ironia, deleitou-me imenso lê-las e aguardarei ansiosamente as futuras questões filosoficas a serem abordadas no seu blog. E cá estarei com minha verborreia que rima com a profundidade das mesmas questões.
Em relação ao facto do meu Ser ser apelidado de Profícuo por uma individualidade que sempre achei ser uma visionária, só me trouxe bastante optimismo para a minha vida futura. Pois acredito, piamente, que sendo uma visionária, como tal, deverá ter tido em conta o meu percurso passado, presente e o futuro para ter chegado a tal conclusão. E que assim seja!

Beijão Eileen...