Soncent

Soncent

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Sonhei contigo esta noite - Fim

Não posso também ir vivendo com um olho posto em ti e outro à minha frente ou ao meu lado, conforme. Que nas férias, quando te vejo, esteja solteira e no resto do tempo, tenha quem me entretenha.

Não posso esperar mas quando olho para ti sei que era ao teu lado que eu teria tudo o que tenho querido. Quando te ponho uma mão no braço ou quando te oiço falar dos teus planos que, somente por acaso, encaixam tão bem nos meus. Quando não me beijas, embora às vezes cobices os meus traços, o meu calor.

Quando em pleno Festival da Baía das Gatas, pões os teus braços fortes à minha volta e me proteges tão bem de toda a populaça que aí salta, ensandecida. Não te queria fazer mais uma declaração de amor, queria tão só contar-te esse meu sonho, tão bizarro. Queria tão só que um dia gostasses de mim também. Queria não ter que me contentar com outros lábios, outros sorrisos.

Queria não saber que sentes o mesmo desdém que eu sinto por aqueles que me amam em vão. Mas não há assunto possível. Não serei eu a pesar na tua vida, nem vou desaparecer de vez, porque isso não consigo. Vou ter que ser tua amiga, leve e inconsequente. Vou ter que ligar no teu aniversário e outras vezes em momentos mais improváveis, sempre com medo de te apanhar acompanhado e de me falares à pressa.

Vou ter que ficar feliz quando apareceres à minha frente e vou fingir que não noto que estás apaixonado por alguém. Vou viver a minha vida e fazer figas para que a minha fotografia, ao contrário de todas, fique mais brilhante em vez de amarelecida.
E esperar que, uma vez por outra, apareças de novo nos meus sonhos e te dês assim.

3 comentários:

Anónimo disse...

Bunzim!
Ten

Eileen disse...

Obrigada!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.