Soncent

Soncent

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Alguém perdeu um cordão de ouro?

Ontem a minha cadela estava toda xururuca, cabisbaixa, com cara de sofredora. Como já tinha passado pelo mesmo por ter comido uma fita de algodão enorme, que depois lhe deu um trabalhão para expulsar, fui inspeccionar os seus dejectos.

Depois de chafurdar um bocado na terra do jardim, encontrei qualquer coisa castanha, mas com algum brilho. Deu-me um certo asco, e pedi à empregada da minha mãe que visse o que é que aquilo continha. Ela negou-se.

Não sei o que me deu, porque me enfureci, e gritei com ela. Nada. Depois, ofereci-lhe dinheiro. Pouco no início. Que nem uma comerciante de Dacar, ela foi aumentando a quantia. Parei nos quinhentos paus. Ela meteu os dedos no cócó de cão. Era um cordão de ouro.

Já sem asco nenhum, estendi a mão. Ela recolheu a sua. Que o cordão era dela. Eu, que não. Ela, que, já que fora ela a meter a mão na merda, ao menos merecia o prémio. Eu, que a cadela era minha, que eu lhe pagara para meter a mão, e que, portanto, era a verdadeira dona do cordão. A boa da senhora disse-me então: Guardas os teus quinhentos paus, e eu guardo o cordão!

...

A cadela já se sente melhor.

5 comentários:

Tey Alexandre disse...

Boa tentativa... mas sei bem que dia é hoje! scheize...

Nadia disse...

Ja me mataste com esta historia. Ha ha ha ha!!!

Anónimo disse...

A única certeza é que o colar tinha dono, e esse dono talvez estivesse a procura do mesmo... mas não, esse não interessava a ninguém. A “patroa” talvez devesse dar o exemplo...
Beijos

Eileen disse...

Mentirinha, maltas....
Já aqui estava o Anónimo com moralidades, esquecendo-se do dia...

Luis disse...

Moralista ....ummm!!!!!!!!...«Ninha» Kond bo ta conta um mintira bo tem K conta ques ta respondeb na mesma moeda...afinal e 1 Abril.
Beijos